Conceito:

Grupo de plantas caracterizado por crescimento horizontal e porte baixo. Cobre a superfície do solo, formando verdadeiros tapetes vivos. As forrações agem como neutralizadoras dos agentes da erosão além de conferir ao jardim a necessária função estética de integração com os demais elementos verticais. Oferecem, ao paisagismo, inúmeras alternativas de cores, texturas e tamanhos.

Características:

As forrações, ao não ser as gramíneas, não toleram o pisoteio, sendo, portanto, impróprias para áreas de circulação. Podem ser permanentes ou anuais no que diz respeito a seus ciclos vitais. São cultivadas pela beleza de sua folhagem ou pela riqueza do colorido de suas flores. Existem espécies que se adaptam ao sol pleno ou à sombra. Possuem portes variados conforme a classificação a seguir:

 Plantas com até 20cm de altura: são aquelas mais rasteiras, que cobrem o solo. Agem como conservadoras de umidade, pois, promovem frescor às outras plantas. Exemplos: ajuga, gramados, vedelia, onze-horas, rosa-de-pedra, grama azul, grama preta, lizimáquia, poligonon.

 Plantas entre 20 e 40cm de altura: são aquelas que intermediam o espaço entre as primeiras e aquelas de porte mais elevado. São muito versáteis, pois, formam volumosos maciços em amplas composições e agem como pontos de interesse quando usadas em locais estratégicos: conjuntos de pedras, troncos, vasos, elementos que mereçam destaques. Exemplos: Impatiens, lírio amarelo, begônias, quaresminha, azulzinha, clorofitos, petúnia, piriquitinho.

 Plantas entre 40 e 70cm de altura: são as forrações altas, próprias para maciços em grandes áreas. Normalmente são plantas mais resistentes. Exemplo: afelandra, amaranto, zínia, camarão, hortênsia.

Utilização:

Conforme já citado as plantas de forração possuem inúmeras alternativas. São considerados “os toques finais” da composição. Realçam os arbustos e os centros de interesses. Fazem as bordaduras dos canteiros e caminhos. Protegem os solos da erosão e mantêm a umidade. Compõem vasos e jardineiras. Estão presentes em floreiras com plantas coloridas e pendentes.

São plantadas de forma que se entrelacem umas nas outras, formando maciços compactos quando crescerem. Devem ser mantidas conforme as necessidades de cada espécie.

Lucia Borges
Author

Lucia Borges Dias, apresentadora do Canal Vida no Jardim é paisagista atuante na área desde 1992. Graduada em Decoração de Interiores, pós-graduada em Paisagismo, é também professora de paisagismo em curso técnico, superior e pós-graduação.

Write A Comment