Tag

água e umidade

Browsing

Uma planta tem mais ou menos as mesmas necessidades que nós: luz, água, ar, nutrição e calor. A importância relativa de cada um desses fatores varia consideravelmente conforme as plantas, mas dentro de uma mesma espécie as exigências permanecem as mesmas, quer a planta cresça em sua floresta natal, quer esteja cativa num apartamento.

As necessidades das plantas permanecem constantes mesmo quando seu ambiente muda radicalmente. Uma planta num vaso, cultivada em apartamento, encontra-se em condições absolutamente artificiais, e, por maiores que sejam suas qualidades de adaptação, elas têm limites. Dentro desses limites, o papel de quem as cultiva é substituir a natureza na satisfação de suas necessidades.

LUZ: A luz é essencial à conversão dessas matérias-primas em nutrientes. Durante o dia, a planta absorve a energia da luz solar graças à clorofila – pigmento verde das células vegetais. Essa energia permite-lhe dissociar a água em moléculas de oxigênio e de hidrogênio, que se combina com o gás carbônico da atmosfera para formar um composto glicosado. Esse processo constitui a fotossíntese. Luz “adequada” significa, grosso modo, o nível de luz que uma determinada planta encontra em seu ambiente natural – sombra densa na floresta ou sol intenso no deserto. Uma planta tolera intensidades luminosas diferentes, mas apenas até certo ponto. Com efeito, se um planta privada de sua indispensável ração de luz pode sobreviver, com certeza não conseguirá prosperar.

TEMPERATURA: Uma planta exige também uma certa quantidade de calor. Algumas sobreviverão a uma leve geada, enquanto outras se ressentirão se a temperatura estiver abaixo de 21º. A cada espécie convém um grau de calor ideal para seu desenvolvimento – abaixo do qual ela simplesmente vegetará e não prosperará. Essa temperatura será diferente de acordo com o período de repouso ou crescimento.

Nos meses mais quentes o desenvolvimento vegetal é maior pois tanto a luz quanto a temperatura são maiores. Nas estações frias, com a diminuição da luz e temperatura as plantas entram em dormência e diminuem todo o desenvolvimento vegetal.

ÁGUA E UMIDADE: Água é vida, traduz vida, gera vida. Qualquer ser vivo necessita de água para sobreviver, desenvolver e reproduzir. Os vegetais são seres que possuem cerca de 80% do seu peso de água. Ela é parte integrante das células e entra em todos os processos do metabolismo animal e vegetal. O excesso de água leva a podridão e a falta o ressecamento de todo vegetal.

A quantidade necessária de água depende:

  •                Procedência da planta ( cultivo e origem)
  •                Onde ela se encontra
  •                Temperatura ambiente
  •                Estação do ano, desenvolvimento da planta.

Regas freqüentes: Plantas em recipientes de cerâmica ou barro; Planta grande em vaso pequeno; Plantas em período de crescimento (primavera/verão); Plantas de folhas grandes e/ou de folhas finas e delicadas; oriundas de florestas tropicais; plantas em ambientes secos e quentes; plantas com flores; etc.

SOLO: O solo se forma como resultado da fragmentação e alteração química das rochas, e do subsequente estabelecimento de microrganismos que colonizam os minerais, liberando os nutrientes que necessitam para crescer e possibilitando o crescimento também de pequenos vegetais.

Dependendo da composição do material da rocha de origem e da ação exercida pelo clima e pelos organismos sobre este material formam-se solos com características diferentes: uns mais férteis (mais ricos em nutrientes) outros mais pobres em nutrientes.

O tamanho e a natureza dos minerais que compõem o solo determinam características importantes.

Solo arenoso: Um solo muito rico em areia que se apresenta na forma de grãos relativamente grandes, não consegue reter a água por muito tempo. A água se infiltra rapidamente pelos espaços existentes entre os grãos de areia, indo se acumular nas camadas mais profundas. Como retém pouca água e secam com muita facilidade, dificultam o crescimento de plantas.

Solo argiloso: contém muita argila que são minerais de tamanho muito pequeno. A água é retida por muito tempo nos pequenos espaços entre os grãos de argila, originando o barro. Este tipo de solo, encharca com facilidade e por isso também dificulta o crescimento das plantas.

Solo Orgânico ou Humoso: Os solos escuros, ricos em matéria orgânica (também chamada de húmus) são ricos em nutrientes, principalmente o nitrogênio. O húmus age ligando os minerais do solo como um cimento, modificando a porosidade e, portanto, aumentando a capacidade de retenção de água. Os solos orgânicos apresentam alta fertilidade, e normalmente proporcionam excelentes condições para o crescimento das plantas.

Mistura de solo:

Em geral, as espécies cultivadas em recipientes nos ambientes internos  necessitam de solo fofo, poroso e rico em matéria orgânica. Sendo necessário duas partes de terra vegetal peneirada e uma parte de composto orgânico (ou esterco bem curtido). Se a terra estiver muito argilosa acrescenta uma parte de areia grossa lavada.