Frutíferas em vasos

Dicas e técnicas simples e fáceis para o sucesso do seu Pomar. E características das sete frutíferas mais usadas nos vasos.

Ter frutíferas bem integradas ao jardim é garantia de pássaros, boa sombra e da delícia dos frutos.

Você pode cultivar frutíferas até em vasos se o espaço não permite um pomar maior

Classificação das Frutíferas:

Frutas tropicais:

  • São as mais sensíveis ao frio.
  • Permanecem constantemente enfolhadas dando mais de uma safra por ano.
  • São as mais resistentes, menos exigentes em tratos, possuem menos inimigos e não exigem poda.
  • Ex.: maracujá, mamão, abacaxi, jabuticaba, etc;.

Frutas de clima temperado:

  • Originárias das regiões mais frias do globo, perdem suas folhas durante os meses de inverno.
  • As frutíferas de clima temperado, por sua imperfeita adaptação ao nosso clima, são bem mais perseguidas por pragas e moléstias.
  • Quase todas exigem poda de formação e, quando em produção, uma poda anual de frutificação.
  • São exigentes em frio e, não se dando bem em regiões mais quentes.
  • Ex.: maçã, ameixa, pêssego, nectarina, etc.

Frutas subtropicais:

  • Possuem exigências climáticas intermediárias entre as frutas tropicais e as de clima temperado.
  • Alguma dentre suas espécies, como por exemplo do figo, perdem suas folhas no inverno, enquanto outras espécies permanecem sempre verdes (citricas).
  • Toleram bem geadas leves.

Espécies adaptadas em vasos:

ACEROLA: Malpighia glabra 

  • Aprecia climas sub-tropicais e tropicais (se desenvolve bem na região norte e nordeste do pais). 
  • Fonte de vitamina C, frutifica até 4 x por ano.

AMOREIRA: Morus nigra

  • Espécie nativa da Ásia, mas se adapta bem aos climas brasileiros
  • Muito confudida com as framboesas e amoras silvestres, porém essas variedades pertencem a outro gênero.
  • A frutificação principal ocorre nos meses da primavera.
  • Necessita de podas drásticas retirando 1/3 do tamanho da planta para revigorar

CÍTRICOS: Citrus sp.

  • Mais de 2 mil variedades cultivadas no mundo todo.
  • Se adaptam tanto em climas temperados quanto tropicais. 
  • Frutificação principal ocorre entre a primavera e verão.

GOIABEIRA: Psidium guajava

  • Arvore de pequeno porte nativa da América central e do sul.
  • De fácil cultivo, frutifica principalmente do verão ao outono. Produz frutos com polpa branca ou vermelha.

JABUTICABEIRA: Myrciaria cauliflora

  • Nativa do Brasil, bastante ornamental, se adapta aos diversos climas brasileiros.
  • As mudas pequenas já possuem linda forma de arvoreta.
  • Frutificação se dá no tronco da planta entre os meses de setembro a dezembro.

PITANGUEIRA: Eugenia uniflora

  • Nativa do Brasil, atraem pássaros, se adapta bem ao clima tropical.
  • Frutifica entre outubro a janeiro.

ROMÃ: Punica granatum

  • Planta muito ornamental com porte elegante, formam lindos vasos.
  • Se adaptam em climas quentes e amenos, sendo que suas frutificação se dá entre primavera e verão .

Caractéristicas dos vasos:

  • Os vasos devem ser grandes, com no mínimo 40cm (para espécies arbustivas) e 60cm (para espécies arbóreas) de diâmetro e altura. Quanto maior o recipiente melhor o desenvolvimento da frutífera.
  • Feitos de materiais resistentes como cimento, cerâmica ou polietileno.
  • Fazer a drenagem no fundo dos vasos.
  • Colocar algum elemento acima da terra tipo pedriscos, argila expandida ou lascas de madeira para dar acabamento no vaso.

Dicas de cultivo:

  • LUZ: Sol pleno (4 ou 6 horas no mínimo)
  • REGA: Regulares e frequentes (principalmente após o plantio e na época de frutificação)
  • TERRA/SUBSTRATO: Rica em matéria orgânica
  • ADUBAÇÃO: 3 a 4 vezes ao ano alternando adubação Equilibrada (após a frutificação) e rica em fósforo.
  • PODA: de limpeza, retirada dos frutos e formação (adequando forma da planta)
  • REPRODUÇÃO: Sementes, alporquia ou enxertia

Pragas e doenças:

Não é raro que árvores frutíferas sofram com pragas e doenças, e por isso é importante observar sempre a espécie e ficar atento a qualquer modificação.

 A alteração de cores das folhas, manchas ou até insetinhos presentes pode ser um sinal de que a planta precisa de cuidados, e neste caso é preciso identificar o que a planta está passando para determinar as mudanças e tratamentos necessários.

  • Pulgões: os pulgões são bem comuns nas plantas e costumam ficar embaixo das folhas, como pequenos insetinhos. Para o combate natural, vale usar uma mistura de detergente neutro com água e borrifar nas folhas ou composição a partir de fumo (calda de fumo 
  • Manchas escuras: o aparecimento de manchas escuras nas folhas pode indicar a aparência de fungos, geralmente, ligados à umidade excessiva da terra. Neste caso, a espécie já pode estar com caracois e lesmas, e o tratamento indicado é o uso de fúngicos para jardinagem e a diminuição das regas.
  • Desbotamento: se as folhas começaram a ficar amareladas e com manchinhas marrons, pode ser sinal de falta de luz, e neste caso é só mudar a árvore de vaso para um lugar com mais luz solar. No caso das folhas começarem a enrolar, pode ser excesso de sol, e a mudança para um lugar com mais equilíbrio de luz solar é a solução do problema.

Uso paisagístico:

Além de deixar de ter nas mãos frutas colhidas por você  os vasos com frutíferas, são em geral muito ornamentais.

Adequando a copa das frutíferas em proporção ao tamanho do vaso formam lindas composições.

Imagem padrão
Lucia Borges
Artigos: 24