Ipê Roxo

Quando cultivada seu porte atinge entre 8 a 12 metros de altura (em mata fechada ultrapassa os 20m).  Crescimento rápido. Tronco é ereto coloração parda escura (podendo variar o tom).  As folhas ásperas são compostas de 5 folíolos desiguais. As inflorescência em forma de bolas reúnem flores de tons variados de rosa, lilás e roxo, com o miolo amarelado. Floresce entre maio e setembro. Planta caduca no inverno.  

NOME BOTÂNICO:  Handroanthus impetiginosus  sin. Tabebuia impetiginosa

ORIGEM: Nativa de quase todos estados do Brasil e encontrata em outros países desde o México até a Argentina, não é comum em regiões muito frias. Se desenvolvem melhor do nível do mar até 1.400m de altitude.

CULTIVO:

  • LUZ: Sol pleno
  • REGA: Frequente até o estabelecimento da muda depois moderada
  • TERRA/SUBSTRATO: Mistura clássica  (Terra/esterco/areia)
  • ADUBAÇÃO: Não indicado – apenas no preparo do plantio com esterco
  • PODA: Não necessária – apenas na formação ou adequação da planta ou limpeza (ramo seco ou doente)
  • REPRODUÇÃO: Através de sementes  (frutos amadurecem entre setembro até outubro)

USO PAISAGÍSTICO: É uma das espécies arbóreas mais usadas e preferidas na arborização urbana do Brasil, por se adaptar em diferentes regiões. Indicada para áreas de parques, jardins, praças e canteiros centrais de avenidas. Podendo ser usadas em calçadas mais largas não devem ser colocadas abaixo de fiação elétrica. Ótima para compor reflorestamento destinados à recomposição vegetal de áreas degradadas.

CURIOSIDADES:

Além de muito ornamentais é medicinal tanto da casca quanto das folhas (citada na medicina popular em toda américa latina).

Utilizada também na indústria madedereira (construção civil, naval e moveleira) por alta durabilidade e resistência. 

Atraem fauna (pássaros variados, abelhas e macaquinhos)

Nome popular Pau-d`arco-roxo é devido ao uso para fabricação de armas (arco e flecha) pelos índios.

São indiscutíveis os benefícios que as árvores proporcionam para a qualidade de vida na cidade. Além de embelezar o ambiente elas tem papel fundamental reduzindo diversos tipos de poluição, tais como poluição do ar, da água, do solo, visual e sonora.

As árvores caducas nem sempre são bem vindas em calçadas

Dar preferência às árvores nativas: São elas que oferecem melhor equilíbrio ecológico e abrigo à fauna. Em geral são muito bem adaptadas ao clima e às condições da região e terão crescimento vigoroso.

Dar preferência às árvores rústicas, de rápido crescimento ou mudas já bem desenvolvidas, pois nas ruas elas estão sujeitas a vandalismos e predações.

Dar preferência as árvores de madeira resistente, evitando assim queda de galhos e troncos durante temporais ou em decorrência de cupins e apodrecimentos.

 Árvores perenes são preferíveis em cidades de clima quente, já árvores caducas no inverno são interessantes em cidades de clima frio, pois permitem a passagem da luz solar.

A copa das árvores escolhidas deve ser adequada ao local do plantio, em formato e tamanho evitando-se assim que esconda a sinalização, danifique automóveis, edifícios e pessoas, interfira na fiação elétrica e de telefone.

Saber escolher corretamente estas plantas, para que cresçam sadias produzindo boa sombra, flores e frutos, sem contudo causar prejuízos ao patrimônio de uma cidade, é uma tarefa gratificante e segura, bastando apenas se orientar pelas normas urbanas e selecionar corretamente a espécie adequada.

Imagem padrão
Lucia Borges
Artigos: 24